15 de jan de 2011

15/01/2011 - Gramado - Florianópolis

Após um café típico de gramado, lá fomos nós agora sim, para casa. Seguimos a orientação do dono da pousada e pegamos uma rota alternativa, passando por Santa Cruz, linda, em elevada altitude, com serras, verde e plantação de pinheiros. Acabamos andando mais, no entanto, escapamos do congestionamento da BR-101. E então, de repente, um pouco antes da divisa entre RS e SC, para completar, o que aparece? Estrada de chão!!! Andamos cerca de 90 km a 40km/h. Foi só chegar em Santa Catarina que a chuva começou, e forte! Mas nada como estar perto de casa...
Ufa, hoje quase completamos 15.000 km. E em todos esses kilômetros rodados, felizmente nenhuma dificuldade, os problemas que surgiram tornaram-se histórias para contar, pois a alegria esteve sempre presente. Certamente uma viagem inesquecível...

14 de jan de 2011

14/01/2011 - Rivera - Gramado

Acordamos cedinho para passear no centro de Rivera e fazer compras. É bem pequeno, o que facilitou nossa agilidade e saída rápida de lá. Os eletrônicos estão bem desatualizados, o que mais vale a pena comprar são bebidas e perfumes. Em torno das 10h30min, passamos na aduana para carimbar nossa saída, pois segundo o pessoal de lá, a ausência desse procedimento pode gerar uma multa no regresso ao Uruguai. Para não corrermos riscos, passamos por lá, o que não levou nem cinco minutos. Então, pegamos a estrada em direção a Gramado. Pelas 17h, estávamos na encantadora cidade. Passeamos um pouco e fomos em busca de um local para ficar. Uma pousada muito bonita, com um pessoal super simpático, parecida que estávamos na casa de nossos avós...A noite, fomos provar, agora sim, um verdadeiro founde. Que delícia! Cada molho maravilhoso para comer com a carne, como por geléia de morango com pimenta..humm! E foi assim, que nos despedimos da última noite de nossa viagem.

13 de jan de 2011

13/01/2011 - Córdoba - Rivera

O dia de hoje foi mais um daqueles que passamos boa parte dentro do carro, no entanto, menos cansativo que ontem, devido à quantidade de estradas retas típicas dessa região. Não tivemos nenhum problema com os policiais dessa área, como costumamos ouvir os relatos. O lema desse dia foi: Provoque sua fome! Incrível, nada aberto à tarde devido à sesta comum nessa parte da Argentina! O anoitecer foi maravilhoso, um bálsamo para as horas de viagem. Chegamos em torno das 23 horas, primeira vez que pegamos a estrada à noite, mas completamente segura, pois a sinalização próximo à Rivera é excelente. O mais interessante dessa vez foi que cruzamos com insetos suicidas, principalmente os vagalumes. Batiam no pára-brisa do carro e por alguns segundos continuávamos enxergando sua cor fluorescente sobre o vidro! Conseguimos um hotel, voltamos a falar em português (até estranhamos no começo) e fizemos um lanche rápido, já se sentindo um pouco mais em casa...nada como o nosso país de origem!


Essa camionete viajou...

Linda imagem!

12 de jan de 2011

12/01/2011 - Mendoza-Córdoba

Viajamos boa parte do dia, chegando em torno das 16h em Córdoba. O que mais chama a atenção nesse trecho são as Serras de Córdoba. Visão maravilhosa, que encanta pela imensidão e grandeza da criação divina. Apreciamos a paisagem, certos de que nossa passagem por Córdoba seria rápida. Após um breve descanso, nos encontramos com amigas de longa data da Márcia, que com muita alegria e simpatia nos proporcionaram momentos muito descontraídos em um barzinho que servia uma pizza deliciosa! Depois, claro, não poderia faltar um sorvete típico argentino, muito gostoso, ainda melhor com a agradável companhia!



Para variar, na sorveteria saboreando o sorvete de doce de leite...despedida!

11 de jan de 2011

11/01/2011 – Mendoza (Rota dos Vinhos)

Hoje pela manhã, saímos para o dia de maior expectativa de nossa viagem, com relação aos vinhos da Argentina. As vinícolas que mais nos interessavam era a La Rural (Rutini) e León de Arizu (Luigi Bosca). No entanto, iniciamos pela Catena Zapata, que era mais afastada, mas que valeu a pena. 
Entrada da vinícola

Caminho até a vinícola!
O tour foi gratuito, as explicações muito boas, a casa da vinícola era linda, toda em estilo Maia. Os vinhos da Zapata são mais em conta na própria vinícola. 

Arquitetura estilo Maia
Vista do vinhedo com os vales ao fundo
Depois, seguimos para Luigi Bosca, que não nos atendeu bem, na verdade não nos atendeu. Iríamos comprar quase toda nossa cota ali, mas acabamos desistindo – e foi a melhor pedida do dia. Ao ver a tabela de preços, chegamos à conclusão que nos supermercados em Buenos Aires, todos os vinhos da Luigi Bosca são mais baratos que na própria vinícola.

Entrada da vinícola

Símbolo da bodega


Passamos pela Rutini, que como seu próprio nome já diz, La Rural, era bem rural, não dava para comparar com a sofisticação das demais. Compramos alguns vinhos, pois são deliciosos.

Museu da bodega La Rural

Em seguida, resolvemos almoçar num restaurante indicado pela senhora dessa vinícola, chamado Casa Campo – enfim uma comidinha parecida com a de casa, para matar a saudade...uma delícia, fomos bem atendidos e gastamos muito pouco. 

Restaurante Casa Campo

À tarde, decidimos fazer um tour pela Trapiche, que não estava nos planos mas que seu atendimento já na entrada nos agradou bastante. Recomendamos essa vinícola, que é muito bonita e os vinhos são maravilhosos...A Keylinha e a Má se encantaram com o vinho Cento e Vinte Anos!!! Para nos surpreender ainda mais, conseguimos 6 vinhos excelentes de “regalo”! Essa valeu muito a pena, para quem vir à Medoza, não deixe de conhecer, o melhor atendimento e tem vinhos muito bons!  

Vinícola Trapiche - só sorrisos - essa valeu a pena


Maquinário antigo da vinícola - sou mais a tecnologia de hoje...

Nhac, esse cacho é meu!
Hihi, só umazinha pra provar vai!
Mais tarde, passeamos pela cidade, encontramos uma bodega Alpataco e finalizamos nossa cota de vinhos dessa viagem! Ufa!!!!

10 de jan de 2011

10/01/2011 – Santiago - Mendoza

Saímos de Santiago às 9h20min, após arrumar a bagagem para cima da camionete. Agora sim liberou espaço para as últimas compras. O caminho de Santiago a Mendoza é muito bonito, com vales, poucos nessa época com neve, mas que contrastam sua cor marrom com o azul do céu. Subimos em torno de 3.800 m pela estrada em forma de caracóis até Portillo. 
Com um São Bernardo tentando matar um pouquinho a saudade do Bob..

Portillo, vista pro lago
 Passamos por uma aduana em seguida, ficamos 20 min, mas o lugar certo não era ali.
Conhecemos o famoso Aconcágua, mas dessa vez resolvemos não subir hehehehe...




Aconcágua ao fundo

Passamos por uma aduana, a correta agora, com bastante fila, que durou 1h30min. A vantagem desta é que todos os trâmites foram feitos sem nem precisar descer do carro, além de possuir uma estrutura melhor, com lanchonetes. 
Puente del Inca
 Chegamos em Mendoza pelas 18h30min. Cidade muito arborizada e agradável, aproveitamos para passear pelas ruas, após o check-in em um apart muito espaçoso e bem localizado. Mais tarde, nos programamos para a maratona vinícolas no dia seguinte!
Relaxando na pizzaria

9 de jan de 2011

09/01/2011 – Viña del Mar

Hoje acordamos um pouquinho mais tarde que de costume. Pelas 10:30 seguimos rumo a Valparaíso e Viña del Mar, passando por algumas vinícolas do vale Casablanca. Tocamos direto para a Viña Indomita. Indicação da nossa paciente chilena Catalina. Como foi difícil de achar!! Mas valeu a pena. Nosso almoço foi digno de restaurante internacional. Os meninos comeram polvo grelhado e as meninas filé de tilápia, tudo regado a um delicioso Chardonnay Gran Reserva. Com direito a sobremesa e tudo... Aproveitamos pra comprar uma caixa de vinho por aqui. Ótimo e bem mais barato que no Brasil.
Viña Indomita

Polvo
Hummm sobremesa de frutas da região!



Um chocolatinho sempre vem bem!


Na entrada da vinícola

Vista panorâmica do vale

Mais uma vinícola no vale do Casablanca

Degustação
 
Seguimos então nossa rota. Passamos primeiro por Valparaíso. O dia realmente não colaborou... Estava completamente nublado. Nossa idéia de ver o pôr-do-sol no Pacífico foi por água abaixo... 

Pena que o dia não colaborou...
 Resolvemos tomar um drink num barzinho de frente pro mar. A praia estava lotada, apesar do ventinho frio que soprava. O pessoal não desiste de ficar na praia, mesmo que seja de moletom. Comemos uns aperitivos, tomamos uma cervejinha e voltamos pra Santiago. A parte chata foi o trânsito que pegamos. Talvez por hoje ser domingo e o pessoal estar voltando pra cidade da praia. Fomos dormir um pouco mais tarde que prevíamos...
Reñaca - Viña del Mar


Pôr-do-sol no costão em Viña del Mar







8 de jan de 2011

08/01/2011 – Santiago (Valle Nevado)

Acordamos mais tarde, fizemos um brunch lá pelas 11 horas, um delicioso penne à carbonara feito pelas meninas. Dali partimos para conhecer o Valle Nevado. Caminho maravilhoso mas muito estreito...uma emoção a cada curva. Passamos por 60 curvas de 180º sem contar as demais, por isso é importante ir com calma. Há muitos ciclistas malucos, que sobem de carro e descem muitooo rápido...alguns outros sobem o vale de bike, o que nos impressionou muito. Passamos por vários lugares bonitos, como El Colorado, La Parva, Farellones...mas na hora de conhecer o Valle Nevado, encontramos na verdade o Valle “Desnevado”. Completamente sem neve...bom mas de neve já estamos bem hehehhe.
Mesmo sem neve o visual é lindo...

Valle "desnevado"... Hehehehe

Caminho angosto

Poucas curvas, enjôo certo

Comunidade de La Parva, a mais de 3000 m de altitude

Depois fomos para um shopping chamado Mall Sports, muito legal! Tudo o que procura sobre qualquer esporte você encontra lá! Até onda artificial para surfar! Os preços nos impressionaram, pois estavam muito abaixo do que esperávamos.
Depois fomos ao Parque Arauco, um shopping muito grande, com praça de alimentação ao ar livre. Já na entrada do estacionamento demonstra sua tecnologia e organização – tem um outdoor eletrônico que controla a quantidade de vagas que ainda possui no estacionamento. Assim que subimos, ele controla quantos vagas tem para cada direção e em cima de cada vaga há uma luz, caso esteja vermelha demonstra que está ocupado, caso esteja verde, está livre!
Após a maratona de passeios fomos para o apart jantar, descansar e blogar o que vivemos.

7 de jan de 2011

07/01/2011 – Santa Cruz - Santiago

Saímos pelas 9 em direção a Santiago. Caminho tranqüilo. Fomos direto ao Mercado Público Municipal, pois nossa idéia era almoçar centolla. Fomos a Joya del Pacifico ver se encontrávamos o Vitinho, garçom super gente boa que atendeu a Márcia e o Diego da outra vez. Nos disseram que ele não trabalhava mais lá, e quando estávamos quase desistindo quem surge? O próprio! Que sacanagem dos outros garçons!! Óbvio que sentamos na mesa servida por ele. E pedimos uma centolla gigante. Hmmmmm.... 
Mercado Público de Santiago
Olha como é grande o bicho!!

Nosso garçom preferido, Vitinho!!

Alguns piscos depois, fomos em direção ao Cerro Santa Lucia. Subida boa para fazer a digestão... Estava lotado. Estamos surpresos com a quantidade de gente aqui. Passamos ainda pela Casa de La Moneda, batemos umas fotinhos e seguimos rumo a Providência buscar um hotel. 

Quem não tem praia, caça com chafariz....

Palácio de La Moneda

Cerro Santa Lucia




 
Graças a internet, achamos um apart super bonitinho e com um preço bem acessível. Com cozinha e tudo. Na Pedro de Valdivia, super bem localizado, anexo ao Hotel Neruda. Fomos ao mercado comprar umas coisinhas e fizemos um cachorro-quente pro jantar. Que delícia! Bem ao nosso gosto. Saímos ainda pra tomar um chopp num barzinho próximo ao Hotel chamado Las Ostras. Primeiro caminhamos pelas ruas da Providência, inclusive pela Suécia que estava bem lotada, talvez por hoje ser sexta-feira, dia de happy hour.

6 de jan de 2011

06/01/2011 – Santa Cruz

Começamos o dia bem. Nos surpreendemos com o café-da-manhã da pousada. Uma delícia! Saímos rumo a Montgrass. Tínhamos reserva pro tour das 10h30min. Além da gente, mais 2 brasileiros fizeram o tour. Nosso guia, Cláudio, era muito simpático. Começou um pouco tímido, mas aos pouquinhos foi ficando mais a vontade conforme íamos conversando. A degustação foi o auge da visitação. Vinhos deliciosos, acompanhados de aperitivos numa casa de campo linda, com um clima super agradável. Ai que vidinha mais ou menos...

Mais vinho, só pra não perder o hábito...
Passamos em seguida na Viña Montes. A princípio íamos só comprar vinhos, mas acabamos fazendo a degustação.


Um brinde a mais um bom vinho!!
Barricas de carvalho descansando ao som de cantos gregorianos...


Conhecemos mais uma brasileira casada com um espanhol que nos acompanharam o resto do dia. Após comprar mais uns vinhos, fomos almoçar no Hotel Santa Cruz. Salmão só pra manter o nível. Hehhehe.


Almoço - até as toalhas são estampadas com cachinhos de uva!
Fomos então pro nosso tour da tarde na Casa Lapostolle. Só a Keyla e o Alexandre iam fazer o tour, visto que a Márcia e o Diego já tinham feito da outra vez e queriam usar a grana pra comprar vinhos... Mas, para nossa surpresa, a guia os convidou a fazer novamente o tour por conta da casa, e com direito a degustação! Inclusive do Clos Apalta!! Escolhido o melhor vinho do mundo em 2008!! Desculpa aí pessoal!! Heheheehe.... Só pra não perder o hábito, comprarmos mais umas garrafinhas de vinho.

Casa Lapostolle

Vista externa da Casa Lapostolle - linda!!

Passamos ainda no museu da cidade. Todo reformado após o terremoto, está mais moderno e bonito. Conta a história da evolução das espécies e da formação do povo chileno. Bem legal.

Museu Santa Cruz



Já em estado de latência, resolvemos voltar pra o hotel e descansar. Descanso merecido após um dia tão puxado....